segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Agenda Porto Alegre: Plauto Cruz


Plauto Cruz (acima, em foto de Cynthia Vanzella) é um dos dois maiores flautistas populares brasileiros em atividade. O outro é Altamiro Carrilho, fã confesso do colega gaúcho. Ativo aos 82 anos recém-completados no último dia 15, ele é a atração desta semana do Musical Petropar, tendo a seu lado sua assídua parceira, a pianista Dionara Schneider. Imperdível, pois.

Plauto começou sua carreira em Porto Alegre, na Rádio Gaúcha, no programa “Duque de Antenas” e, posteriormente, foi para Difusora, no programa “Hora do Bico”, atuou na emissora Clube Metrópole, depois na rádio Itaí, e por último na Farroupilha. Mais tarde voltou a trabalhar para a Gaúcha e para várias outras emissoras no Brasil, incluindo televisão. Conquistou 60 troféus, destacando-se, entre eles, a Medalha Simões Lopes Neto, concedida pelo Governo do Estado; Cidadão Emérito de Porto Alegre, pela Câmara de Vereadores; e Cidadão Porto-Alegrense, pela Prefeitura de Porto Alegre.


Serviço:

O que: Musical Petropar
Onde: Foyer Nobre do Theatro São Pedro
Endereço: Praça Marechal Deodoro, s/n° - Centro, Porto Alegre
Quando: dia 23 de novembro, quarta
Horário: 12h30
Grátis!

domingo, 20 de novembro de 2011

Me Formei, E Agora?: Evitando o Pensamento Mágico

No dia 23 de setembro, realizei na Saraiva MegaStore de Belém (PA) uma palestra com o mesmo nome do meu Workshop já divulgado aqui - Me Formei, E Agora? A ideia foi utilizar a palestra para expor os principais conceitos do workshop, sendo esta a primeira vez que o workshop, que até aqui vem acontecendo sempre de forma virtual, pela internet, foi abordado diante de uma plateia - não muito numerosa, como se pode ver pelas fotos de Tainah Fagundes, mas atenta e interessada.

Quando falei sobre os Cinco Valores que, acredito, devam estar presentes em todas nossas atividades profissionais – Currículo, Experiência, Remuneração, Contatos e Projeção, um rapaz me perguntou se há alguns deles que sejam mais importantes que outros. Por exemplo, se deveríamos sempre dar preferência a uma oportunidade profissional que proporcionasse maior remuneração. Respondi que cada caso é um caso, em algumas vezes você pode até aceitar um emprego que não pague tão bem, mas que represente uma experiência que você queira ter naquele momento (seria o caso, digamos, de quem saísse de uma redação de telejornal para trabalhar em rádio porque fez esta escolha). Mas que, por experiência própria, tenho quase certeza absoluta que, quando você faz algo movido apenas pela remuneração, a chance de êxito é bem pequena.

E é claro que, como sempre acontece, nem todo mundo conseguiu ver os conceitos que tentei passar como algo que cada um deve buscar adaptar para a sua realidade/ vivência e buscar construir a partir dali. Há quem vá para uma palestra desse tipo buscando alguma solução milagrosa. Justamente por isto, eu sempre advirto para que se evite o “pensamento mágico” no planejamento e gestão de carreira, em qualquer ocasião.

O que é o “pensamento mágico”? É acreditar que o seu sucesso depende de fatores desprovidos de qualquer lógica – você conseguir um emprego porque assim diz no horóscopo, ou imaginar que vai obter um novo contrato porque levantou hoje com o pé direito, coisas assim.

Enfim, houve de fato um outro rapaz que foi com a expectativa de entender porque não consegue estágio nem emprego na área de Jornalismo. Pedi a ele que descrevesse rapidamente o que tem feito e o que, de fato, quer fazer – ou seja, qual seria o seu foco na profissão (por exemplo, ser produtor de TV? Repórter fotográfico de jornal?). Ele confessou que ainda não definiu um foco, mas que tem tentado de tudo: estágio acadêmico, emprego em TV, assessoria etc. etc. Para mim, aí pode estar o fator que impede o sucesso – não se tendo um foco, passa-se a “atirar para todo lado” e aí a chance de êxito reduz muito, pois é impossível que todos os lugares onde ele tente uma colocação o vejam como alguém com o perfil desejado. Afinal, você só poderá atender a expectativa de quase todos os empregadores se esta expectativa for bem básica – qualquer veículo precisa de alguém para a editoria de Geral, por exemplo, mas justamente porque todo diplomado pode ocupar esta vaga, a remuneração não é das melhores e você não é visto como alguém especial que deve ser mantido na equipe, e sim como um “substituível” a qualquer momento.

sábado, 19 de novembro de 2011

Cinema Tocantins: Miragem anuncia selecionados


A produção do 6º Miragem - Mostra de Cinema e Vídeo de Miracema 2011 anunciou na quinta as datas do evento e os filmes selecionados.

Este ano, a mostra programou sessões em onze cidades do estado do Tocantins: além da sede em Miracema, haverá atividades em Palmas, Pium, Tocantínia, Miranorte, Paraíso, Divinópolis, Guaraí, Araguaína, Gurupi e Cristalândia, tudo isto entre os dias 7 e 10 de dezembro.

Nesta edição foram inscritos 236 filmes produzidos em diversas regiões do país, dos quais 82 curtas foram selecionados para as categorias competitivas, além de 1 longa e 2 médias para a Mostra Especial, não-competitiva. Há duas produções do Tocantins, e 3 do exterior.

Clique na imagem para abrir o arquivo pdf com a programação (são 13 páginas).


Música Rio de Janeiro: Seu Jorge

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Cinema Belém: 2º Noites com Sol


De 28 a 30 de novembro, Belém vai respirar música e cinema. Trata-se do 2º Noites com Sol – Mostra de Música e Cinema. Oito shows vão acontecer durante as três noites. Além dos shows, haverá mostra competitiva em várias categorias. O festival será realizado no teatro Maria Sylvia Nunes, na Estação das Docas, das 9h às 23h.

As inscrições de filmes para as mostras competitivas foram prorrogadas até o dia 25 e podem ser feitas de duas maneiras. A primeira pela internet, através do formulário disponível no site, ou ainda, pelo Correio. O material deve ser encaminhado ao endereço: Av. Duque de Caxias, 160. Ed. José Bonifácio, loja -14 - CEP: 66093-400, com emissão à MOSTRA COMPETITIVA “2º NOITES COM SOL - MOSTRA DE MÚSICA E CINEMA”.

Serão cinco categorias na Mostra Competitiva de Curta Metragem e Fotografia Digital: “Melhor Curta Documentário”; “Melhor Curta em Mídias Móveis”; “Melhor Vídeo Clipe" (Prêmio Ná Figueredo); “Melhor Curta Ficção" (Prêmio Fox) e “Melhor Fotografia Digital”. A obra vencedora em cada categoria recebe o valor de R$ 1.000.00, mais brindes.

A programação do evento prevê, na parte da tarde, Sessões Comentadas por cineastas paraenses e profissionais da cena cultural da cidade - Jorane Castro, Beto Fares, Fernando Segtowich, Ná Figueredo, Vicente Cecin, Cássio Tavernard , Carlos Pará e Alex Pinheiro. Cada um terá uma hora para falar de seus trabalhos e comentar sobre filmes importantes no cenário e cinema em geral.

Oficinas - A programação terá também sete oficinas, realizadas de 28/11 a 2/12: “Prática Cinematográfica”, ministrada pelo Movimento Curupira Antenado; “Produção de Revista Digital”, com Carlos Pará (editor chefe da revista PZZ); “Jornalismo Cultural na Era Digital”, ministrada pelo jornalista Nicolau Amador; “Direção de Arte aplicada ao evento”, por André Nascimento; “Produção Cultural”, com Cláudio Figueiredo (diretor geral do projeto Noites com Sol); “Vídeo de Bolso”, por Augusto César Nunes (Guto) e “A Indústria Cultural: Ciência, Política e Sociedade” que será ministrada por Márcio Ponte.

Programação Musical - No dia 28, sobem ao palco do Teatro Maria Silvia Nunes o pianista Leonardo Souza Coelho, Ney Conceição e a dupla Albery e Thiago Albuquerque. No dia 29, é a vez de Bonsalvage, Juca Culatra & Cristal Reggae e o Coletivo Rádio Cipó. Encerrando no dia 30, Felipe Cordeiro e Casarão Cultural Floresta Sonora.

Ingressos – Os ingressos para o festival custam R$ 20 e já estão à venda em dois pontos: loja Ná Figueiredo (Av. Gentil Bittencourt, 449 - Nazaré) e na Fox Vídeo (Tv. Drº Moraes, 584 - Batista campos). Informações disponíveis no site: www.noitescomsol.com

Serviço

2º Noites com Sol - Mostra de Música e Cinema
De 28 a 30 de novembro, das 9h às 23h
Teatro Maria Sylvia Nunes, na Estação das Docas.
Ingressos: R$ 20.
Estudante paga meia mediante carteira
Informações: (91) 8256-1358

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Debate Belém: Vamos Falar de Jornalismo Cultural?

Fabio Gomes em foto de Tainah Fagundes

Papos & Ideias com Fabio Gomes: Vamos falar de Jornalismo Cultural?

A proposta do evento é reunir jornalistas atuantes na área de Cultura e estudantes de Jornalismo interessados no assunto para conversar sobre o momento atual e perspectivas para este importante ramo do Jornalismo, em especial num momento em que a música feita no Pará coloca Belém diariamente nas manchetes, com a repercussão de eventos como o itinerante Terruá Pará (finalista do Prêmio Bravo) e o Conexão Vivo Belém.

O mediador do bate-papo é o jornalista Fabio Gomes, natural do Rio Grande do Sul e que desde o ano passado transferiu-se para Belém, em função da repercussão de seu blog Som do Norte. Formado pela UFRGS, Fabio criou também os sites Brasileirinho e Jornalismo Cultural. Foi aqui em Belém, em 2005, que realizou a primeira edição de seu Curso de Jornalismo Cultural, com o qual circulou pelo país, a convite de entidades como o Sindicato dos Jornalistas de São Paulo e o SESC de Santa Catarina, e que ganhou uma versão "à distância" que tem ajudado no aperfeiçoamento de diversos jornalistas de todo o Brasil. O Curso também originou o Workshop Jornalismo Cultural 2.0, cuja primeira edição também foi realizada em Belém, durante o Conexão Vivo 2010, e tem percorrido estados do Norte. Mensalmente, Fabio promove na Saraiva MegaStore de Belém um pocket show da série Som do Norte na Saraiva.

Serviço

Vamos Falar de Jornalismo Cultural? - com Fabio Gomes
Espaço Benedito Nunes - Saraiva MegaStore
Boulevard Shopping – Av. Visconde de Souza Franco, 776 – Loja 233 / 2º piso, Reduto - Belém, PA
Segunda, 21 de novembro, 19h
Entrada franca
Realização: http://jornalismocultural.com.br/
Apoio: Saraiva MegaStore

Música Rio de Janeiro: Independente Rock

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Inicia nova turma do Curso à distância de Jornalismo Cultural

Nos primeiros minutos desta segunda, 14 de novembro, receberam a primeira aula da turma de novembro do Curso à distância de Jornalismo Cultural os alunos Gabriela Andrade (Marabá, PA), Murilo Morhy Jr. (Ananindeua, PA), Juliana Terra (João Pessoa, PB), Kleber Araújo e João Paulo Seixas (Recife, PE), Catarina Rocha e Silva (Salgueiro, PE) e Paulo Marques e Silva (São Paulo, SP). É nossa turma com maior número de alunos do Nordeste.

Também integra essa turma Nair Lima (Manaus, AM), cujas aulas iniciaram no dia 1 - os outros inscreveram-se aproveitando a prorrogação que fizemos das inscrições até o dia 9.

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Vão até 9/11 as inscrições para a turma de novembro do Curso à distância de Jornalismo Cultural


Foram prorrogadas até 9 de novembro as inscrições para a turma de novembro do Curso à distância de Jornalismo Cultural. O curso foi criado em 2006, a partir da adaptação para o ambiente da internet do Curso de Jornalismo Cultural desenvolvido pelo jornalista Fabio Gomes (ao lado, em foto de Tainah Fagundes), editor deste blog, a pedido da Fundação Getúlio Vargas, e que teve a primeira edição realizada em Belém (PA) em 2005, circulando depois por Rio Grande do Sul, São Paulo, Santa Catarina e Acre, e que deu origem também ao Workshop de Jornalismo Cultural 2.0, que desde o ano passado já teve sete edições nos estados do Pará, Amapá e Roraima. Nestes cinco anos, o Curso à distância já atendeu dezenas de alunos do Acre, Amazonas, Bahia, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina e São Paulo.

Programa


- Cultura e Sociedade - Visão antropológica, Visão semiótica
- Eras Culturais
- Jornalismo Cultural - conceito
- Gêneros do Jornalismo Cultural - Gêneros informativos, Gêneros opinativos
- Jornalismo Cultural no Mundo - Evolução e Panorama atual
- História do Jornalismo Cultural no Brasil: Folhetim (1808 -1899), Suplemento (1900-1950), Caderno (1951-2000)
- Construção do Texto Jornalístico-Cultural: Apuração, Checagem, Redação, Entrevista
- Formação em Jornalismo Cultural
- Mercado Profissional para o Jornalista Cultural

Como cursar

1 - O Curso à distância de Jornalismo Cultural se destina a jornalistas formados e estudantes de Jornalismo, bem como a pessoas que escrevam sobre temas culturais na imprensa e/ou na internet.

2 - O curso é ministrado via internet (por e-mail) com duração aproximada de um mês. Quem se inscrever até o dia 9 de novembro, receberá as aulas por e-mail nos dias 14, 21 e 28/11 e 5/12. Junto com a primeira aula, seguirá a apostila do curso. Obs: quem mandar o formulário até às 23h59 do dia 9/11, pode efetuar o depósito na manhã do dia 10/11 (até 12h).

3 - O valor de inscrição é de R$ 100,00. O pagamento deste valor quita o curso.

4 - Ao final, o aluno deverá produzir um texto para avaliação, a fim de fazer jus ao certificado, que será enviado pelo Correio nos primeiros dias de outubro aos que obtiverem avaliação "ótima" ou "boa". Não serão solicitados outros trabalhos antes do texto final.

5 - O Curso à distância de Jornalismo Cultural é um curso livre; seu certificado não enseja a eliminação de créditos em cursos de graduação.

6 - Para se inscrever, preencha e envie o formulário abaixo. Quando você clicar em "Enviar", será redirecionado para uma página com os dados bancários para o depósito.

1 - Nome:

2 - E-mail:

3 - Endereço para envio do certificado

(rua, nº, bairro, CEP):

4 - Cidade:

5 - Estado:

6 - Comentário:


Confirmo interesse no Curso à distância de Jornalismo Cultural
e aguardo as informações referentes ao depósito para inscrição.