segunda-feira, 16 de julho de 2012

Exposição Belém: Seringal - Portinari


Visitei agora no começo da tarde aqui em Belém uma curiosa exposição do artista Cândido Portinari (1903-62). Curiosa porque é centrada numa obra que não chegou a ser realizada. Explico: em 1957, o pintor, já consagrado como o maior em atividade no país, recebeu uma encomenda do Banco de Crédito da Borracha (atual Banco da Amazônia) para a confecção de um painel a ser intitulado Seringal. A maquete foi concluída e entregue (imagem acima), porém por algum motivo a obra definitiva nunca chegou a ser realizada. Posteriormente a maquete passou a integrar o acervo do Museu de Arte de Belém, e encontra-se exposta atualmente, como parte das comemorações dos 70 anos do Banco da Amazônia.

Além da maquete original, emoldurada, o visitante poderá apreciar reproduções de outras sete obras do autor ligadas ao tema da borracha e dos seringais, produzidas em diversos momentos a partir dos anos 1930, época em que Portinari executou os murais do Ministério da Educação, no Rio de Janeiro, tendo por tema os ciclos econômicos do Brasil. Complementam a mostra um painel cronológico-biográfico de Portinari, frases sobre o pintor de autores como Carlos Drummond de Andrade, além de informações sobre a história do Banco. Há ainda uma ampliação digital da maquete, numa parede contígua à do original - além da proximidade, a ampliação tem problemas de nitidez e de definição de cor, o que a torna completamente dispensável.

O principal mesmo é a maquete, uma obra colorida em dimensões reduzidas (22,3x54cm), pintada a óleo sobre cartão, e primorosamente dentro do estilo de Portinari à época, com finas camadas de cor delineando  de forma moderna os volumes em cena (e, ao mesmo tempo, estes demonstrando a sólida formação do autor em desenho). Moderno também é o uso não-realista da cor (como nos tons de vermelho e amarelo que se somam ao verde no chão do seringal). Elementos que só me fazem lamentar o fato de, seja lá por qual motivo, Portinari nunca haja realizado a versão definitiva desta obra.

Também é exibido, no espaço expositivo, o curta Soldados da Borracha, de César Garcia Lima. Saiba mais sobre o filme: http://vamosfalar-jornalismocultural.blogspot.com.br/2011/09/cinema-rio-branco-soldados-da-borracha.html

Serviço

Seringal - Portinari
Local: Espaço Cultural do Banco da Amazônia
End.: Av. Presidente Vargas, 800 - Belém, PA
Visitação: até 31 de julho
Horário: segunda a sexta / 8h30 às 17h30
Informações: (91) 4008-3193
Grátis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário