domingo, 14 de outubro de 2012

Pedro Corrêa do Lago revela manuscrito inédito de Noel Rosa


O cartão acima, manuscrito por Noel Rosa, deve datar de 1936. Assim estimou Pedro Corrêa do Lago ao publicar o documento em sua coluna "Questões Manuscritas", no site da revista Piauí, em 9 de outubro.

No bilhete, Noel pede a seu editor Mangione o adiantamento de 100 mil réis para custear seu tratamento contra a tuberculose, doença diagnosticada em novembro de 1934 e que acabou por vitimá-lo em maio de 1937. 

(Esses pedidos de adiantamento eram comuns na época, baseavam-se no lucro que seria gerado pela obra editada. No caso, como ainda hoje, o autor delegava a alguém - um editor - a responsabilidade de fiscalizar o correto uso de sua composição. Para se remunerar, o editor ficava com um percentual dos direitos autorais que a obra gerava. Porém, como lembrou Mario Lago em suas memórias, era comum também o editor dar um valor a título de adiantamento, a música não estourar e ficar por isso mesmo, já que não haveria como o compositor restituir o valor adiantado.)

No artigo, Corrêa do Lago menciona a coincidência do valor pedido por Noel com o título de um samba seu, de parceria com Vadico, intitulado justamente "Cem Mil-Réis", que ele gravou nesse mesmo ano de 1936. Ao que parece, trata-se apenas de uma coincidência, já que pelos termos do bilhete ("Continuo doente e sem poder trabalhar."), podemos supor que ele foi escrito entre março (quando Noel gravou, além deste samba, o clássico "De Babado") e novembro (quando, já se sentindo melhor, fez dois discos com Marília Batista) - ou seja, o samba já estaria gravado quando Noel escreveu o bilhete. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário