quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Debate sobre os editais do teatro Waldemar Henrique reúne classe artística de Belém



 Por Raissa Lennon, de Belém

Músicos, produtores, atores, diretores e artistas em geral, se reuniram com representantes da Fundação Tancredo Neves na tarde de ontem, 29, no Teatro Experimental Waldemar Henrique, para definirem propostas de um edital de pauta para o lugar. Esse foi o segundo encontro realizado com o setor, o primeiro aconteceu no último dia 24, e nele foi formada uma comissão com dois representantes de cada segmento artístico, escolhida de forma democrática pela categoria.



A mesa de debates foi liderada pelo presidente da Fundação Tancredo Neves, Nilson Chaves, e teve ainda o gerente do Teatro Waldemar Henrique, Salomão Habib, o diretor do Teatro Margarida Schivasappa,  Fernando Dako, e o músico Júnior Soares.

- Essa é uma conversa sobre uma ideia de edital para o teatro, idealizado pelo governo, em que os próprios artistas vão decidir o que é melhor para eles. O Teatro está aberto para editais, para pautas livres e projetos do governo - afirmou Nilson Chaves, também cantor e compositor. 

Na reunião foram discutidas pautas que privilegiam projetos experimentais, e que abrangem várias áreas artísticas, como dança, música, teatro, literatura, e até a arte circense. Segundo Nilson Chaves, a Fundação está buscando parceria com diversos setores governamentais, como a Funtelpa, que ajudará na divulgação dos projetos aprovados:

- Acho que o mais importante é caminharmos juntos, que com isso a gente consegue mais coisas, estamos buscando parceria com a TV e Rádio Cultura, com o Conservatório Carlos Gomes, com a Fundação Curro Velho e outros locais.

Nilson Chaves alerta também que esses projetos passarão por modificações e que ainda não contemplam todos os segmentos artísticos, mas este diálogo com a classe será constante e ajudará a construir novos caminhos para o Teatro Waldemar Henrique e para a cultura como um todo. “A intenção é beneficiar todo mundo. O teatro, por exemplo, precisa ser mais valorizado na região”, comentou Nilson Chaves.

Debate

Produtores e artistas manifestaram seus anseios e deram várias contribuições para a melhoria do edital, como mudanças na duração dos espetáculos e a reformulação de alguns pontos de cada projeto proposto.  Músicos como Joelma Klaudia, Gláfira Lobo, Pio Lobato e Andre Leemax foram alguns dos artistas que compareceram ao encontro, apresentando propostas ao edital.

Recém-lançada no mercado artístico, a cantora Carolina Baía também compareceu.

- Pelos projetos que foram apresentados eu ainda não vi nenhum que me interessasse, mas quando sair o edital definitivo vou analisar com mais cuidado - comentou Carolina.



A artista realizou seu primeiro show solo, Carolina Baía canta Marisa Monte, em setembro de 2012 (foto), e atualmente prepara seu primeiro EP e um show com um repertório de compositores regionais. Carolina nunca se apresentou no Teatro Waldemar Henrique e também ainda não foi contemplada com nenhum edital do Estado. 

- É complicado porque no final acaba que temos que nos adequar ao que eles querem. Isso é bom porque tem que ter certa organização, mas às vezes é ruim porque nos priva de algumas coisas. Como eu sou uma artista nova, também fica mais difícil conseguir passar nos editais.

Ainda não há previsão para lançamento oficial do edital, mas a ideia é que saia ainda no inicio deste semestre. As opiniões de todos os segmentos foram aprofundadas durante esse encontro ocorrido entre a comissão e os representantes da fundação no Teatro Waldemar Henrique. A comissão se comprometeu ainda a mobilizar novamente produtores e artistas para outros encontros. A próxima reunião será no dia 4 de fevereiro, na Fonoteca do Centur, a partir das 17h. 

Primeira reunião - 24.01.13

Nenhum comentário:

Postar um comentário