sexta-feira, 27 de setembro de 2013

I Encontro Brasileiro de Pesquisas em Cultura foi aberto a pessoas de qualquer formação


Por Calila das Mercês,
de Salvador



Entre os dias 1 e 3 de setembro, participei do I Encontro Brasileiro de Pesquisas em Cultura: pesquisa e produção de conhecimento para além da universidade e esta idéia se faz verdadeira quando percebo que é inédito para mim participar de um encontro onde pessoas de diferentes formações, mas que têm interesse em estudos e pesquisas em cultura, puderam participar sem necessariamente possuir um diploma ou estar cursando no mínimo um mestrado, como já vi em outros seminários. Cultura é um tema vasto e a produção dela e suas nuances têm sido sempre debatidas e, em minha opinião, pouco socializadas com a população, em geral. Hoje, percebo a mesquinhez em passar conteúdo, em querer passar adiante o conhecimento “x”. As pessoas, “donas do saber”, ainda tratam diferente  os mais letrados e os “sem formação universitária”; a informação não é perpassada, fica circulando em umas panelinhas que diz serem cultas, sem dar oportunidade a outras pessoas. Não falo apenas da dona Maria, rendeira da cidade Z, mas também de João, estudante de Faculdade Y, que não é filho de ninguém conhecido e nem tem um sobrenome destacável, que nunca consegue participar de nada que é gratuito e que possa agregar conhecimento a ele. Questiono: por que tamanha mesquinhez? Por que tamanho egoísmo? As pessoas enganam-se a si próprias quando pregam que determinado evento é de todos, quando na verdade aquilo ali é realizado apenas aos “afilhados” ou a um ou dois indivíduos “cults”. Parabenizo os idealizadores deste encontro, acredito que eventos abertos, gratuitos e com temáticas como esta deveriam ser expandidos para o resto do país. Já que está na moda “copiar e colar”, seria interessante que as pessoas, líderes de alguma coisa importante, pudessem colar o que é realmente bom.


O evento teve início na noite de 1 de setembro no Centro de Cultura São Paulo com a palestra Os sentidos da pesquisa nas culturas populares da Profa. Dra. Maria Lucia Montes (FFLCH-USP), que fez um apanhado histórico sobre os estudos cultura, durante os séculos passados até hoje, propondo uma reflexão sobre a temática. Com um público variado de pouco mais de cem pessoas, a solenidade contou com a presença do Secretário de Políticas Culturais do Ministério da Cultura, Américo Córdula, e com um assessor do secretário de Cultura da cidade de São Paulo, Juca Ferreira, que não pôde estar presente por motivos pessoais. O evento terminou com o show da Banda Isca de Polícia, criada por Itamar Assumpção.

No segundo dia do evento houve duas mesas redondas simultâneas: a Mesa 1, com o tema Culturas, identidades e cidades, com a presença de Eleilson Leite (Ação Educativa), José Guilherme Magnani (FFLCH/USP), Maria Isabel Vilacc (FAU/Mackenzie) e a Mesa 2, trazendo a temática Economia da cultura, direitos autorais e comunicação, com Allan Rocha Souza (UFRJ), Daniel Fonsêca (Intervozes), Cláudia Leitão (UECE), Guilherme Varella (Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo) e Sergio Amadeu (UFABC).

Nos dois dias aconteceram Rodas de Pesquisas e Grupos Temáticos apresentando de forma simultâneas diferentes temas, desde economia da cultura até literatura e música. Confira mais sobre o evento, nestes links: Link1 e Link2. No útlimo dia, no primeiro horário houve as mesas redondas simultâneas: Mesa 3: Artes e linguagens com Aimar Labaki (dramaturgo, diretor e curador), Ilana Feldman (Academia Internacional de Cinema e Unicamp), Pedro Aragão (UniRio) e Sonia Salzstein Goldberg (ECA/USP). Já a Mesa 4: Políticas culturais e mediação, contou com a presença de Lia Calabre de Azevedo (Casa de Rui Barbosa), José Marcio Barros (PUC-MG), Julio Mendonça (Prefeitura Municipal – São Bernardo do Campo) e Valmir de Souza (Instituto Pólis).

 Este ano, o evento foi realizado pela Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da Universidade São Paulo (USP) e pelo Programa de Pós-Graduação em Estudos Culturais, e contou com o apoio da Prefeitura de São Paulo, da Ministério da Educação - CAPES e do Governo Federal. O próximo encontro será realizado em 2014 na Universidade Federal Fluminense (UFF) em Niterói.

Nenhum comentário:

Postar um comentário