terça-feira, 22 de outubro de 2013

Teatro Rio de Janeiro: Sonhos de um Sedutor


Sucesso de público e crítica, “Play it again, Sam” estreou na Broadway em 1969. Três anos depois, chegaria às telas, com o mesmo elenco: Woody Allen na pele de Allan Felix, crítico de cinema que acaba de ser abandonado por sua mulher, Tony Roberts como o amigo Dick e Diane Keaton como Linda, sua esposa, por quem Allan se apaixona.

Com texto de Woody e direção de Herbert Ross, “Play it again, Sam” – a clássica frase que Humphrey Bogart não disse em “Casablanca” – traz o início de algumas das marcas registradas pelas quais o diretor americano seria reverenciado: a observação e ironia sobre o caleidoscópio de sentimentos e comportamentos humanos, o personagem neurótico, a subversão dos “finais românticos felizes”, a referência constante ao “analista”, homenagens aos clássicos do cinema e a mulher “proibida” como objeto de desejo. O espetáculo foi também o primeiro trabalho com umas de suas principais musas, Diane Keaton – consolidado nos anos seguintes em mais sete filmes, entre eles o premiado com quatro Oscars “Annie Hall” – com quem se casaria. 

Em 25 de outubro, sexta, sua versão brasileira estréia no Teatro Ipanema, pelas mãos do produtor Miguel Colker, que ano passado comprou os direitos da obra para o Brasil, e convidou Ernesto Piccolo para a direção. Para o elenco, Ernesto convocou atores cujo trabalho conhece de perto: Luana Piovani, que dirigiu na peça “Alice” e dividiu o palco em “A.M.I.G.A.S”, Heitor Martinez, atualmente na novela “Pecado  Mortal”, da Record, com quem atuou no filme “Como ser solteiro”; e Georgiana Góes, que acaba de gravar o remake de “Saramandaia” e no espetáculo se divide em sete personagens, personificando diferentes estereótipos de mulheres desejadas por Allan. Para o desafio de interpretar um personagem já vivido por Woody Allen, escolheu a dedo um novo talento: George Sauma, presença constante nos palcos cariocas.  

“Estava à espera da oportunidade de dirigir George. Já sabia o quanto seu talento é excepcional e múltiplo – além de atuar é excelente no sapateado e também músico – mas nos ensaios me surpreendi com um profissional dedicado e criativo, compondo esse personagem que trata com leveza das inseguranças, fantasmas, questionamentos, fantasias e também das imponderáveis possibilidades do amor com o coração”, comenta Ernesto.

George faz o franzino e inseguro Allan Felix, que parece ter saído de um cartoon de Jules Feiffer. Ele acaba de ser deixado por sua esposa Nancy (Georgiana Góes) que o acusa de ser só “um espectador da vida”. Entre uma dose de aspirinas e outra, é visitado pelo casal de amigos Dick (Heitor Martinez) e Linda (Luana Piovani) que tenta lhe apresentar novas garotas em encontros desastrosos, enquanto um imaginário Humphrey Bogart lhe dá conselhos sobre como tratar as mulheres – “Não tem segredo, garoto. Elas são tolas, mas nunca encontrei uma que não entendesse um tapa na cara ou uma coronhada de uma quarenta e cinco”. Allan acaba se aproximando de Linda, com quem compartilha afinidades – incluindo o afã por remédios - o que a leva a uma tensão ainda maior pela culpa em relação ao amigo.

Luana Piovani completa: “Já seria um presente dar vida a qualquer personagem de Woody Allen, mas Linda, além da honra de ter sido interpretada originalmente por Diane Keaton, me traz uma experiência totalmente nova à bagagem de atriz: É a primeira vez que levo ao palco o papel da mulher frágil, submissa e dependente do marido”. 

Ficha Técnica

Autor: Woody Allen
Tradução: Caulos
Direção: Ernesto Piccolo 
Elenco: George Sauma, Georgiana Góes, Heitor Martinez e Luana Piovani
Direção musical: Rodrigo Penna
Direção de movimento: Deborah Colker
Iluminação: Jorginho de Carvalho
Cenografia: Clivia Cohen
Figurino: Helena Araújo
Concepção de Maquiagem - Ton Reis

Serviço

Espetáculo: “Sonhos de um Sedutor”
Local: Teatro Ipanema (Rua Prudente de Morais, 824 – Tel.: 2267-3750)
Texto:  Woody Allen
Direção: Ernesto Piccolo
Elenco: George Sauma, Georgiana Góes, Heitor Martinez e Luana Piovani
Temporada: de 25 de outubro a 15 de dezembro
Horário: de quinta a domingo (quinta a sábado às 21h, domingo às 20h)
Categoria: Comédia
Preço: R$ 50,00 / Todos os moradores do Rio pagam meia entrada (R$ 25,00)
Classificação: Livre
Duração: 1h15m
Capacidade: 222 lugares
Bilheteria: quarta a domingo de 14h30 até o início do espetáculo ou pelo site www.compreingressos.com 
Forma de pagamento: somente dinheiro
Acesso para cadeirantes: sim
Estacionamento: não


Nenhum comentário:

Postar um comentário