segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Opinião: Falta fôlego a Meu Passado me Condena


Por Calila das Mercês,
de Salvador 

Apesar de um elenco mediano, com exceção de Fábio Porchat, Meu passado me condena promete gargalhadas, mas não dá o prometido de forma grandiosa, graças a um roteiro que vai perdendo o fôlego durante todo o filme.

Miá e Fábio

Fábio (Fábio Porchat) e Miá (Miá Mello) se casam apenas um mês depois de se conhecerem e vão passar a lua de mel num cruzeiro com destino à Europa. A partir daí encontram seus antigos namorados, Beto (Alejandro Claveaux) e Laura (Juliana Didone), que coincidentemente são casados. Até aí tudo bem, mas depois tudo fica bem artificial! Filme produzido por Mariza Leão e dirigido pela filha Julia Rezende, Meu Passado... contou com um orçamento de um pouco mais de 3 milhões de reais.

Beto e Laura

Meu Passado Me Condena foi baseado na série de TV homônima do canal pago Multishow. A diferença é que o programa se passa em uma pousada e no filme o cenário é um navio. Marcelo Valle e Inez Viana em ambos os trabalhos interpretam Wilson e Suzana. A aparição de Elke Maravilha nas telonas é interessante, mas infelizmente muito escassa. Já Cabeça (Rafael Queiroga) teve mais “moral”, pois interpretou o amigo chato que aparece para “encher o saco” do casal em plena lua de mel.

Fábio, Miá e Cabeça

O filme foi gravado num cruzeiro de verdade. E apesar de Fábio Porchat estar em um ótimo momento da carreira, o excesso de improviso faz com que em alguns momentos os espectadores não acompanhem algumas piadas. Um pouco clichê também é quando Fábio, Cabeça, Wilson e Suzana ficam a procura da personagem Miá pelas ruas de uma cidade italiana, eles não a encontram e no final ela aparece...

De todo modo, é um filme água com açúcar para quem quer relaxar ou se divertir um pouco. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário