domingo, 23 de fevereiro de 2014

Poeta do Mês: Walter Poeta (4)

TRISTEZA AUGUSTIANA

Sepultei um grande amor que amei
Nessa terra árdua que me espera um dia
E na vida, com minha alma triste fiquei
Do amor guapo que só me trazia alegria.

Foi-se embora a grande esperança
Da aurora que todo o dia eu via
Da dor plangente vinda de uma criança
Que nos braços da mãe chora ao ver a luz do dia.

De que serve agora esse amor que procurei?
E que hoje me deixou arrependido
Trazendo essa maldita desgraça que herdei
Desse amor eterno que virou bandido.

Mas hoje desconheço esse amor extraordinário 
Que se diz ser belo e que hoje  não me anima
Mas sei que vai estar para sempre sepultado




Esse sentimento rijo que começa e depois termina.





Nenhum comentário:

Postar um comentário