quarta-feira, 30 de abril de 2014

Opinião: Rio 2 - o clichê



Por Calila das Mercês,
de Salvador

Para quem estava esperando algo surpreendente, não foi muito bem o que Rio 2 mostrou. O filme produzido pelo Blue Sky Studios e dirigido pelo brasileiro Carlos Saldanha trouxe uma fotografia e uma trilha sonora admiráveis, porém a história não é nada inovadora.

A turminha da primeira versão de Rio - Blu, Jade, seus 3 filhos e os demais animais -, se aventura pelos cantos do Brasil, prova que se sai bem diante dos vilões e dos perigosos bichos com quem se depara no caminho e, durante a trajetória, vê o retrato do desmatamento da flora brasileira.

Algo interessante, porém nada inovador, é que desta vez o filme teve passagem na festa de réveillon em Copacabana, já que no primeiro longa o foco foi o Carnaval carioca. E neste foi supervalorizado o espaço do Amazonas, fazendo com quem estivesse assistindo questionasse se seria certo o filme se chamar mesmo Rio, pois mais da metade da trama se passa em solo amazonense.

O elenco que dubla a animação é composto por grandes nomes do cinema internacional: Rodrigo Santoro (300), Anne Hathaway (O Diabo Veste Prada), Jesse Eisenberg (A Rede Social), Jamie Foxx (Django Livre), e Leslie Mann (O Virgem de 40 Anos).



As perguntas que ficam: será que este tipo de produção é uma forma de “fazer propaganda” aos turistas que vêm ao Brasil? Por que não investir em roteiros menos românticos e fofos, com temas mais plausíveis e questionadores? Animação pode ser mais que entretenimento sutil... Considerando que hoje o foco da animação não é mais somente o público infantil, o filme não superou as expectativas, mesmo compreendendo o desafio que é um animador brasileiro estar trabalhando e produzindo para uma das maiores indústrias de cinema do mundo.



Nenhum comentário:

Postar um comentário