terça-feira, 27 de maio de 2014

Clisertão debateu literatura, Nordeste e lusofonia em Petrolina

Por Calila das Mercês,
de Salvador





Com o objetivo de disseminar questões relacionadas ao livro, leitura e literatura, a Universidade de Pernambuco (UPE) – Campus de Petrolina – junto à Secretaria de Cultura do Estado promoveu o evento Clisertão: Congresso Internacional do Livro, Leitura e Literatura, que reuniu nomes de grandes escritores e estudiosos brasileiros da área da Literatura. 

Lirinha hipnotizou e divertiu a plateia cm sua "Poesia eletrônica" | Foto: Costa Neto
Lirinha

Entre os dias 5 e 10 de maio, o Auditório UPE contou com debates e conferências com temas relacionados ao livro, leitura e literatura, atividades para crianças e adolescentes da comunidade, exibição de filmes e ações integradas como exposições e minicursos. Além disso, tiveram apresentações culturais com a presença de artistas locais como o show e recital com Maciel Melo, Maviael Melo e Marcone Melo, cordel cantado – leitura com o homenageado J. Borges e Bacaro, Abraão Batista e Hamurabi, recital e pocket show com Lirinha e cantoria de viola com Adiel Luna e Damião Enésio, Francinaldo e José Oliveira. 

José Luiz Passos
(fotos: Costa Neto)


O ponto de destaque do evento, na minha opinião, foi a participação de José Castello (escritor, jornalista e crítico literário) e de José Luiz Passos (escritor e professor da Universidade da Califórnia). Ambos foram muitos felizes ao relatar suas experiências nos campos de estudo e de prática literária. Castello, atualmente colunista do jornal O Globo, abordou em sua fala assuntos como influência literária e humanidade, relatando a força de livros que vão de Clarice Lispector a contos de fadas. José Luiz Passos, pernambucano radicado nos Estados Unidos, falou da composição dos seus livros Nosso grão mais fino e O sonâmbulo amador, este último vencedor do Prêmio Telecom, nas categorias Melhor Livro e Melhor Romance (o que lhe rendeu um incentivo de 100 mil reais).

J. Borges foi um dos convidados que encantou com seus cordeis | Foto: Costa Neto
J. Borges

Outra mesa bastante interessante foi a que trouxe um debate sobre o tema Lusofonia: mito e paradoxo que contou com a presença de Andreia Joana Silva (Portugal), Abreu Paxe (Angola), Luís Serguilha (Portugal) e Alexandre Furtado (UPE / Gabinete Português de Leitura). A Língua Portuguesa foi trazida para o centro do debate, já que a recente unificação do Acordo Ortográfico promove tempo e espaço férteis para produção de literatura nos países que tem o português como língua oficial.

Andreia Joana, Alexandre Furtado, Luís Serguilha e Abreu Paxe debatem a lusofonia | Foto: Costa Neto
Debate sobre a lusofonia

Além de professores da instituição e também escritores mais experientes, o evento também contou com a participação de jovens escritores como Bruno Liberal, ganhador do Prêmio Pernambuco de Literatura através do livro de contos Olho morto amarelo, obra que traz uma perspectiva interessante, com a verdade dura e crua sobre fatos do cotidiano. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário