quarta-feira, 11 de junho de 2014

Cinema Belém: Mostra Bodansky


Nos próximos dias 13, 14 e 15 de junho, o Cine Líbero Luxardo recebe a “Mostra Bodansky”, numa iniciativa do Instituto de Artes do Pará – IAP e Fundação Cultural Tancredo Neves, que apresentam sete filmes do diretor, reunindo importantes títulos de sua obra, como “Era uma vez Iracema” e “Jari”, pautados nos registros da região que vem sendo documentada pelo cineasta desde a década de 1970. Na sessão do sábado, dia 14, Jorge Bodansky e a atriz Edna de Cássia conversam com o público logo após a exibição. A entrada é franca e as sessões iniciam às 18h.
Os selecionados para a Mostra Bodansky têm relação direta com a região e foram filmados entre 1974 e 2011. Nas apresentações estão: “Igreja dos Oprimidos”, “A propósito de Tristes Trópicos”, “Jari”, “Era Uma Vez Iracema”, “Transanarquia”, “Navegaramazônia”, além do próprio “Iracema – Uma Transa Amazônica”, o único do gênero “docudrama”,  onde a ficção e o documentário são coexistentes.
Formado em cinema pela Escola de Design de Ulm, na Alemanha, Bodansky iniciou sua carreira como fotógrafo. Sua estreia como cineasta e sua ligação com a Amazônia se deram na década de 70, com "Iracema - uma transa amazônica”, que denunciava a devastação da floresta e seu modelo equivocado de ocupação.
O docudrama é um dos filmes brasileiros mais premiados da década em festivais nacionais e internacionais e abriu caminho para uma sólida carreira do diretor, onde estão incluídos mais de 10 longa-metragens e diversos outros curta-documentários, produzidos para as TVs brasileira, alemã, francesa e italiana, onde atuou como diretor, fotógrafo e produtor.

Bodansky também desenvolveu produtos para a internet, como sites e CD-Roms. Sempre de forma independente sua carreira é pautada pela resistência e pala liberdade de escolha.
Programação:

Dia 13 – sexta-feira

Igreja dos Oprimidos 
Igreja dos Oprimidos foi rodado no sul do Pará, em Conceição do Araguaia, região de graves conflitos de terra. É um filme candente que, com vigor preciso e apaixonado que narra a saga de fraternidade e de esperança que uniu os movimentos eclesiais de base e os camponeses pobres da região, em defesa do direito à posse da terra - Brasil/França, 1985, 16mm, Cor, 75 minutos - Direção e roteiro: Jorge Bodanzky, Helena Salem
A Propósito de Tristes Trópicos 
O filme refaz a viagem que o antropólogo Lévi-Strauss realizou no Mato Grosso nos anos 1935 e 1938 e que resultou no livro Tristes Trópicos. Há vários elementos no filme: imagens da expedição original, entrevistas com Lévi-Strauss em diferentes momentos e imagens das três expedições à região realizadas pela equipe do documentário - França, 1990, Vídeo, Cor/P&B, 46 minutos - Direção: Jorge Bodanzky, Patrick Menget, Jean-Pierre Beaurenaut
Jari 
Este documentário é uma arma política, realizado durante a CPI que investigava a devastação da Amazônia, na área do polêmico projeto de Daniel Ludwig, milionário americano que investia na região. Através de entrevistas com operários, empresários, políticos e ecologistas, o filme debate o processo de industrialização da Amazônia, mostrando os aspectos contraditórios daquilo que pretendia ser o maior empreendimento privado da região - Brasil, 1979, 16mm, Cor, 60 minutos - Direção e produção: Jorge Bodanzky, Wolf Gauer

Dia 14 – sábado 
(exibição com a presença do diretor Jorge Bodansky e atriz Edna de Cássia):
Iracema – Uma Transa Amazônica  
Em contraste com a propaganda oficial da ditadura, que alardeava um país em expansão com a construção da Transamazônica, uma câmera sensível revelava os problemas que a estrada traria para a região: desmatamento, queimadas, trabalho escravo, prostituição infantil. Misturando documentário e ficção, o filme narra a história da jovem Iracema e do motorista Tião Brasil Grande, emblemática da realidade brasileira - Brasil/Alemanha, 1974, 16mm-35mm, Cor, 91 minutos - Direção: Jorge Bodanzky, Orlando Senna - Elenco: Conceição Senna, Edna de Cássia, Paulo César Peréio

Dia 15 – domingo
Era uma vez Iracema 
Documentário feito para integrar o DVD do Iracema, através de entrevistas com os autores, atores, críticos e cineastas, discute 30 anos depois a linguagem desse filme que se tornou um cult do moderno cinema nacional - Brasil, 2005, Doc, Cor, 45 minutos - Direção: Jorge Bodanzky
Transanarquia 
Em formato de show/debate, diversos pensadores e especialistas em comunicação debatem a internet e o nascimento da cybercultura, tendo como fio condutor, a música de Gilberto Gil - Brasil, 2011, não-ficção, média-metragem, 52 minutos - Direção: Jorge Bodanzky
Navegaramazônia - uma viagem com Jorge Mautner 
Documenta a viagem de barco do projeto Navegar Amazônia que realizou oficinas de música com Jorge Mautner em comunidades quilombolas no município de Abaetetuba, Pará - Brasil, 2006, Doc, Cor, 50 minutos - Direção: Jorge Bodanzky

Serviço

Mostra Jorge Bodansky
Dia 13 de junho: “Igreja dos Oprimidos” (1985) – 75’, “A Propósito de Tristes Trópicos” (1990) – 46’ e “Jari” (1979) – 60’
Dia 14 de junho: “Iracema – Uma transa amazônica” (1974) – 90’. Ao final da exibição, bate-papo com Jorge Bodanszky e atriz Edna de Cássia.

Dia 15 de junho: “Era uma vez Iracema” (2005) – 45’, “Transanarquia” (2011) – 52’ e “Navegaramazônia – Uma viagem com Jorge Mautner” (2006) – 50’.

Local: Cine Líbero Luxardo – Fundação Cultural Tancredo Neves – Avenida Gentil Bittencourt, 650.
Horário: 18h
Entrada franca


Nenhum comentário:

Postar um comentário