terça-feira, 10 de março de 2015

Teatro Porto Alegre: Ori Orestéia

Adriana Rodrigues, em foto de Jessé Oliveira


Um dos grupos mais emblemáticos da cena teatral gaúcha e brasileira, o Grupo Caixa-Preta estreia seu novo espetáculo, ORI ORESTÉIA, neste final de semana, no Theatro São Pedro, em Porto Alegre. As apresentações ocorrem no sábado, dia 14 de março, às 20h, e no domingo, dia 15, às 18h. A montagem foi contemplada com o Edital Prêmio Funarte de Arte Negra 2012, concedido pela Fundação Nacional de Artes (Funarte) em conjunto com a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR), por meio do Ministério da Cultural. A peça, baseada na trilogia de Orestes, de Ésquilo, é uma realização do Grupo Caixa-Preta e tem a direção de Jessé Oliveira, que vem notabilizando-se pela apropriação e recriação de clássicos da dramaturgia universal em uma fusão com a cultura afro-brasileira em obras como HAMLET SINCRÉTICO e ANTÍGONA BR. Assim como na última peça citada, a dramaturgia é assinada por Viviane Juguero, que criou o texto a partir de argumento e concepção do diretor e de improvisações dos atores.

Nessa peça, o diretor Jessé Oliveira apresenta uma concepção estética inovadora, trazendo elementos da contemporaneidade negra. Além do sincretismo com elementos da tradição afro-brasileira, a peça dialoga com elementos míticos e místicos de diversas épocas e culturas. A criação, que engloba as três tragédias de Ésquilo (Agamenom, Coéforas e Eumênides) realiza um caminho que vai da raiz da cultura afro-brasileira, passando por batuque, orixás, samba, gafieira e chegando na cultura pop internacional. Essa última abordagem sincretiza alguns personagens com figuras emblemáticas da cultura negra atual: o atormentado psicologicamente e perseguido pela justiça Orestes se aproxima de Michael Jackson, Atenas à Ângela Davis, além de referência aos Panteras Negras e estrelas da Black Music.

Na peça, revela-se uma gama de potentes signos da cultura afro-brasileira, resgatando elementos de uma tradição gestual que se constituiu no Brasil e também signos ligados aos mitos e arquétipos da cultura negra internacional. Investigam-se as raízes do teatro ritual, a partir de um mergulho na cultura africana e afro-brasileira, cultura pop contemporânea e suas composições corporais. A perda de identidade é abordada simbolicamente por meio de aspectos do sincretismo religioso e cultural.  Como sempre, o diretor Jessé Oliveira propõe uma encenação onde a construção plurissignificativa da cena viabiliza múltiplas leituras, demandando um posicionamento crítico do espectador. A beleza e a arte negra, associadas ao preconceito, à exploração e à luta são apresentadas simbolicamente em meio à rede complexa de questões socioculturais em que estão envolvidas. Ampliando a significação da narrativa, Ori Oresteia apresenta diversos estímulos que devem resultar em sensações e reflexões fundamentais para uma percepção ampla da questão afro-brasileira atual.

Sobre o grupo

O grupo Caixa-Preta é formado por artistas negros e surgiu no cenário gaúcho em 2002, tendo, logo, se tornado um expressivo coletivo de teatro do Rio Grande do Sul e no Brasil. Realizou os espetáculos: “TRANSEGUN”, de Cuti (2003); HAMLET SINCRÉTICO (2005), baseado na obra de William Shakespeare; ANTÍGONA BR (2008), por meio do Prêmio Myriam Muniz, da FUNARTE; O OSSO DE MOR LAM (2010), do senegalês Birago Diop, e em dezembro do mesmo ano DOIS NÓS NA NOITE, de Cuti, todos com a direção de Jessé Oliveira. O grupo também realizou o ENCONTRO DE ARTE DE MATRIZ AFRICANA, de 2006 a 2013, evento de discussão da arte afro-brasileira. A nona edição está prevista para dezembro de 2015.

FICHA TÉCNICA:

Direção: Jessé Oliveira
Elenco: Adriana Rodrigues, Diego Naià, Éder Rosa, Glau Barros, Juliano Barros, Marcelo de Paula, Mariana Abreu Marmontel, Pâmela Amaro, Richard Gomes, Viviane Juguero e Wagner Madeira
Dramaturgia: Viviane Juguero
Argumento: Jessé Oliveira
Textos originais: “Agamêmnon”, “Coéforas” e “Eumênides”, de Ésquilo.
Consultoria teórica: Barbara Kastner

Trilha sonora original: Viviane Juguero e Grupo Caixa Preta
Composição de músicas originais: “Presságio”; “Saudação”; “Templo de Apolo” e “Atena” (Viviane Juguero ); Agamêmnon e Jamais te trairei (Grupo Caixa Preta)
Colaboração nos arranjos e sonoplastia: Wagner Madeira e Diego Naià
Colaboração de sonoridades: Grupo Caixa Preta
Seleção das músicas de outros compositores: Jessé Oliveira
Consultoria musical: Álvaro RosaCosta

Figurinos: César Terres
Cenário: Rodrigo Shalako
Artista Gráfico: Waldemar Max Barbosa da Silva
Iluminação: José Luis Fagundes Kabelo
Assistente de Direção: Juliano Barros
Assistência em preparação corporal: Éder Rosa
Direção de Produção e Elaboração do Projeto: Jessé Oliveira
Produção e Divulgação: Silvia Abreu

Apoio: Bortolini | Clube do Assinante ZH |RBS TV |TV E |FM Cultura | Força Sindical |Instituto Girassol |Canal Você |Fatirrê Centro de Beleza Afro|MLGB Escritório Contábil | Studio de Dança Paulo Pinheiro |Faculdades Monteiro Lobato (FATO)
Financiamento: Ministério da Cultura, Fundação Nacional de Arte (Funarte) e Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República (Seppir)

SERVIÇO

O QUÊ: ORI ORESTÉIA, estreia da nova montagem do Grupo Caixa-Preta, dirigida por Jessé Oliveira
QUANDO:
Dias 14 de março de 2015, sábado, 20h
                    Dia 15 de março de 2015, domingo, 18h
ONDE: Theatro São Pedro (Praça Marechal Deodoro, s/n°, Centro Histórico), Porto Alegre - Fone 51- 32275100)
DURAÇÃO: 2h                                        
CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: 16 anos

QUANTO: R$ 30,00 (Plateia e cadeira extra) – R$ 25,00 (Camarotes Central) – R$  20,00
 (Camarote Lateral e Galeria)         

Ingressos à venda na Bilheteria do TSP a partir de 02/03/2015
Horário dias úteis:
Das 13h às 18h30min (quando não há espetáculos noturnos)
Das 13h às 21h (quando há espetáculos à noite)           
Sábados e domingos
Das 15h até o horário do espetáculo
Descontos:
AATSP: 50% na estreia
Idoso: 50%
Classe Teatral: 50%  e Estudantes
Clube do Assinante ZH: 50% titular e acompanhante
Para obter os descontos, é necessária a apresentação de documento comprobatório.

Nenhum comentário:

Postar um comentário