segunda-feira, 31 de outubro de 2016

A propósito de Halloween, Dia do Saci e outras patrulhas

1 - A primeira vez que ouvi falar em 'Dia do Saci' foi em 2003, quando estive em São Paulo cobrindo o Festival de Música Instrumental, que foi nesta época do ano (final de outubro, começo de novembro, por aí). Amigos músicos do grupo Sociedade do Choro me levaram a um bar próximo ao Ó do Borogodó onde havia uma roda de choro toda noite de segunda, e lá em algum momento alguém falou de 'Dia do Saci', explicando que seria uma 'reação' ou 'resposta' brasileira ao Haloween. Na hora, eu achei aquilo tão desconectado de qualquer coisa que parecia uma daquelas brincadeiras que volta e meia eu posto no Facebook, tipo imagina se ninguém mais se meter na vida dos outros, que louco seria!

2  - Não muito tempo depois, talvez ainda naquela viagem, ou quem sabe no ano seguinte, eu soube da existência em Sampa de uma Sociedade Amigos do Saci, ou algo assim, que faria anualmente em 31 de outubro uma festa pelo 'Dia do Saci', sempre, claro, como uma "resposta brasileira" ao Halloween. Ignoro se a festa continua acontecendo, imagino que não, pois jamais ouvi referências a ela depois disso. 

3 - Foi só bem recentemente, em função da existência do Facebook, que voltei a ouvir falar de tal 'festividade', o 'Dia do Saci'. Mas, enquanto os convites para festas de Halloween são postados já a partir da metade de setembro, as referências ao 'Dia do Saci' iniciam, quando muito, no dia 30 de outubro. Geralmente é mais no dia 31 mesmo e acabou. Os escassos posts sempre reforçam o caráter de 'resposta brasileira' contra o que seria uma invasão, ou algo parecido, do Halloween. 

4 - Só que existe nisso tudo uma coisa muito engraçada (ou, vai ver, até mais de uma... ;) O brasileiro, não comemora, de fato, o Halloween. Como todo mundo que leu revistas Disney na infância nas décadas 1960-80 sabe, no Dia das Bruxas norte-americano, crianças saem fantasiadas pela vizinhança batendo nas casas e fazendo a pergunta clássica "Travessuras ou gostosuras?" Invariavelmente (ao menos nas histórias Disney), recebem doces, de modo que eu nunca soube quais seriam as travessuras perpetradas caso não viessem as 'gostosuras'. E é isso, gente, é essa a 'famigerada' comemoração do Halloween norte-americano! Uma coisa que não ultrapassa os limites da vizinhança e que não incomoda ninguém, salvo um que outro vizinho mais rabugento.

5 - E como é que no Brasil se "comemora" o Halloween? Com festas temáticas, que podem ou não ser a fantasia, sejam estas festas em casas particulares, seja em boates e tal. Nenhum sinal de crianças fantasiadas pedindo doce para os vizinhos. Eu conheci ainda bem novo essas festas temáticas, pois minha mãe era professora de Inglês - sim, pessoas, durante muito tempo as "comemorações" do Halloween no Brasil se restringiam às escolas de Inglês. Talvez o incômodo que gerou a idéia do 'Dia do Saci' tenha começado quando as tais festas deixaram de ser feitas apenas nos cursos de idiomas e foram abraçadas pelas casas noturnas. Mas que tanto incômodo isso gera, afinal de contas? É só mais uma festa temática entre trocentas que tais estabelecimentos fazem ao longo do ano - nem todas "fomentando" a cultura nacional, evidente, pois não é pra isso que alguém se torna empreendedor noturno. 

6 - Em tempo: não tenho nada contra o Saci Pererê, personagem aliás que goza da minha mais ampla simpatia. Não lembro qual versão conheci primeiro, talvez tenha sido o Saci dos quadrinhos do Ziraldo, ou - mais provavelmente - o Saci do Sítio do Pica-pau Amarelo, inicialmente na adaptação para a TV dos anos 1970, e pouco depois nos livros de Monteiro Lobato, e mais tarde em vários filmes - isso sem falar que o Saci é o personagem símbolo do Inter de Porto Alegre. 

7 - Por tudo isso, entendo que, sim, o Saci deva ter um dia dedicado a ele, por que não? Mas também não compactuo da idéia de que a melhor data para isso seja 31 de outubro, nem a melhor motivação para isso seja uma "resposta brasileira" à "invasão do Halloween" - até porque, como já disse, não vejo invasão alguma. Por que não eleger uma outra data sem essa motivação algo estranha (ao menos para mim) e celebrar de fato, sim, o Saci e até mesmo outras figuras do nosso imaginário, como o Curupira, a Mula-sem-Cabeça, a Cuca etc etc? 

8 - Porque uma coisa é fato: a batalha contra o Halloween já nasce perdida. Quem quer fazer sua festa temática alusiva às bruxas no final de outubro vai fazer, independente de quem postar no dia 30 e 31 que isso é uma "invasão" (e, peloamordy né, não é). E com isso se perde a oportunidade de ter um dia que de fato seja uma homenagem ao Saci e cia. Ou então, se é pra manter a data dedicada ao Saci em 31/10, que se faça uma divulgação mais ampla das programações que comemorem a data (embora, como eu já falei no começo, não tenho visto mais comemoração alguma faz teeempo). Enfim, se se pretende mudar um imaginário mais que consolidado mundialmente, não vejo outro caminho senão fazer eventos para promover o que se quer, divulgar muito e persistir mais ainda - e deixar os mimimis de 'fomos invadidos' de lado.

9 - Até porque se formos levar essa questão nacionalista tão a sério, precisaríamos urgentemente de criar eventos para substituir  carnaval, Páscoa, Dia do Trabalho, festas juninas, réveillon, Natal e todas essas festas estrangeiras importadas, afinal, vai que elas resolvem ameaçar a pureza da cultura brasileira ;)

  • Making-off do texto - Um dos poucos escritos que fiz especialmente para publicar no Apontam Estudos, blog que lancei há dois anos e cuja principal função era ser uma antologia do meu Facebook pessoal. Foi publicado lá há exatos dois anos (31.10.14). O lançamento do recurso 'Lembranças' pelo próprio Facebook tirou a razão de ser daquele blog. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário