sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Elton Medeiros: "A música é o meu ar"


Entrevista realizada em Porto Alegre, em 18 de fevereiro de 2004, após show do sambista no Santander Cultural. Publicado originalmente no site Brasileirinho.

BRASILEIRINHO - Há quanto tempo tu não vinhas a Porto Alegre?

ELTON MEDEIROS - Eu não vinha a Porto Alegre desde o início da década de 70, quando eu vim aqui fazer o Sarau com o Conjunto Época de Ouro e o Paulinho da Viola, no Teatro Leopoldina. E lamentavelmente, amanhã tenho que ir-me embora, porque eu queria ao menos dar umas voltas por aí. Mas cheguei de Minas, fiquei um dia no Rio e vim pra cá. E agora vou passar o Carnaval lá meio escondido, porque eu não quero mais saber... Tô no Carnaval desde os 8 anos, eu tô com 73, então chega.

B - Cansou do Carnaval?

E - É, chega. A garotada é que tem que tomar conta do Carnaval, não sou eu. Eu fundei três escolas de samba: a Tupi de Brás de Pina, que acabou, o Quilombo, que foi uma escola que representava a resistência ao luxo, à ostentação das escolas de samba e os Unidos de Lucas, que tá no 3º grupo. 

B - O Quilombo foi um projeto do Candeia, não?

E - É, a idéia foi do Candeia, mas quem participou da fundação foi Paulinho da Viola, Martinho da Vila, eu e muita gente, jornalistas como Juarez Barroso... Foi um movimento bastante interessante.

B - Tens composto ultimamente, como é que tá a tua produção?

E - Você respira todo dia?

B - Sim.

E - Se não respirar, o que que acontece?

B - Eu morro.

E - A música é o meu ar. Eu continuo fazendo música.


Nenhum comentário:

Postar um comentário